Como funciona o sistema de telegestão, que tem controle remoto virtual e identificação de luminárias defeituosas a distância

Como funciona o sistema de telegestão, que tem controle remoto virtual e identificação de luminárias defeituosas a distância

O sistema de telegestão aplicado em São Luiz do Paraitinga, no interior paulista, é composto basicamente de hardware, um sistema de comunicação e um software de gerenciamento. Cada luminária recebeu um controlador integrado (composto de fotocélula inteligente e rádio), que, além da possibilidade de controle, permite a programação por meio dos protocolos de comunicação por rede sem fio via rádio frequência mesh.

“O módulo faz a leitura da luminária, do consumo, se ela está funcionando, suas características elétricas, fator de potência, enfim, ele passa para o cliente as informações da luminária. E, ao mesmo tempo, esse módulo recebe informação do cliente”, conta Ricardo Cricci, diretor superintendente na Celena Participações, empresa responsável pelo projeto luminotécnico da cidade. Os controladores foram fornecidos pela Silver Spring Networks, uma das principais empresas do mundo no setor de redes inteligentes de energia. Ler mais

Com telegestão, São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, diminui em 54% o consumo com iluminação pública de LED

Com telegestão, São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, diminui em 54% o consumo com iluminação pública de LED

Desde 2015, a cidade de São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, reduziu em 54% o consumo de energia ao adotar um sistema de iluminação pública LED com telegestão em radiofrequência. Foram instaladas 110 luminárias, que consomem metade da potência das tradicionais lâmpadas de vapor de sódio e que também se comunicam com uma central de controle capaz de monitorar todos os pontos em tempo real. A iniciativa faz parte do projeto Cidade Inteligente, idealizado pela distribuidora Elektro, que planeja investir R$ 18 milhões na cidade – R$ 300 mil somente em iluminação pública. Ler mais