Obras do BRT Norte-Sul em Goiânia são retomadas pelo Governo Federal

O presidente Michel Temer, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, e o vice-governador de Goiânia, José Eliton, participaram em março da assinatura de ordem de serviços para a retomada das obras do Trecho 2 do Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul. A primeira fase prevê a entrega ainda neste ano do corredor de ônibus entre o Terminal Recanto do Bosque e a Praça do Trabalhador, na capital goiana.

Com a ordem de serviço assinada, o Governo Federal repassará os recursos para a Prefeitura de Goiânia. Serão investidos no eixo mais de R$ 192 milhões, sendo R$ 140 milhões do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 52,6 de contrapartida do órgão municipal.

Considerando os trechos que ainda não foram licitados, o valor total investido chega a cerca de R$ 270 milhões. Ao todo, o corredor terá 21,8 km de extensão interligando as regiões Sul e Norte, atendendo diretamente 148 bairros de Goiânia e também de Aparecida, beneficiando cerca de 120 mil usuários por dia.

Todas as obras têm com conclusão prevista para 30 de outubro de 2020. De acordo com a Prefeitura, porém, esse cronograma poderá ser encurtado, mediante acordo com o Consórcio BRT-Goiânia, composto pelas empresas EPC e WGV, na hipótese de o Município obter recursos extras que lhe permitam antecipar os aportes de sua contrapartida.

As obras do BRT estavam paralisadas desde dezembro de 2016. Em abril do ano passado, a prefeitura retomou os serviços, mas três meses depois o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU) fizeram apontamentos em alguns preços unitários dos itens constantes da planilha de execução e entenderam que havia sobrepreço em alguns destes itens, embora o preço global da obra estivesse mantido.

Por Gabriel Gameiro