Com telegestão, São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, diminui em 54% o consumo com iluminação pública de LED

Desde 2015, a cidade de São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, reduziu em 54% o consumo de energia ao adotar um sistema de iluminação pública LED com telegestão em radiofrequência. Foram instaladas 110 luminárias, que consomem metade da potência das tradicionais lâmpadas de vapor de sódio e que também se comunicam com uma central de controle capaz de monitorar todos os pontos em tempo real. A iniciativa faz parte do projeto Cidade Inteligente, idealizado pela distribuidora Elektro, que planeja investir R$ 18 milhões na cidade – R$ 300 mil somente em iluminação pública.

Controle remoto do acionamento, desligamento, dimerização e controle individual das luminárias a distância modernizam o sistema de iluminação da cidade no interior paulista

O ponto forte do projeto é a inteligência na iluminação, com controle remoto do acionamento, desligamento, dimerização e programação individual de cada luminária ou o acionamento em grupo. “Com isso, temos um controle maior sobre o gasto de energia de cada ponto de iluminação pública”, explica Jorge Aith, gerente de Medição, Perdas e Tecnologia da Elektro.

O sistema de telegestão também permite identificar lâmpadas defeituosas, situações atípicas ou até fuga de corrente, sem que o cliente precise acionar a concessionária. “Não é preciso ir ponto a ponto para ver se a iluminação pública está funcionando, ou se tem algum problema, pois você recebe essas informações online. Isso diminui o custo de manutenção e também o custo de ter de buscar essa informação na rua”, afirma Ricardo Cricci, diretor superintendente na Celena Participações, empresa responsável pelo projeto luminotécnico.

Economia e preservação
Na cidade paulista, essa economia representa uma quantia de R$ 24.375,23 por ano, conforme estudo realizado pela Elektro. Com a tecnologia anterior, o consumo anual de energia era de R$ 44.807,40, e com a tecnologia em LED o consumo passou a ser de R$ 20.432,17, uma redução de 54%. Considerando a quantia de R$ 300 mil ao longo do projeto, o investimento deve se pagar em pouco mais de 12 anos.

Essa redução no consumo se dá porque, através do sistema, é possível gerar relatórios de todas as luminárias. Dessa forma, o controle recolhe informações sobre o tempo em que a lâmpada esteve ligada e também se apresentou alguma falha, como ter ficado acesa durante o dia ou apagada durante a noite. Com o relatório em mãos, é possível antever problemas técnicos e agir preventivamente.

No caso do projeto aplicado em São Luiz do Paraitinga, a redução no custo com iluminação pública não significa necessariamente uma perda na luminância. “Essa lâmpada de LED está dando o mesmo nível de iluminação que a lâmpada de 273W (de vapor de sódio)”, afirma Cricci, da Celena Participações.

Instalação da luminária equipada com LED e sistema de telegestão, que permite identificação de lâmpadas defeituosas

A cidade do Vale do Paraíba foi escolhida por causa de seu tamanho adequado ao de um cenário e da população pequena (10.735 habitantes, de acordo com o Censo 2010), que facilita a interação e a mobilização. A dimensão pequena do município também permite uma avaliação mais detalhada sobre os efeitos provocados pela nova tecnologia.

Além disso, a cidade possui um caráter histórico e turístico, e foi declarada como patrimônio cultural brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Seu conjunto arquitetônico, com 266 anos de história, devidamente iluminado com a tecnologia de LED com telegestão, dá visibilidade ao projeto da Elektro e mostra como o desenvolvimento tecnológico pode ser aplicado em favor da tradição histórica.

Um cuidado que a distribuidora teve ao adotar o novo sistema de iluminação foi definir que todas as lâmpadas teriam cor quente, para preservar a identidade visual da cidade. “Além das construções, a própria imagem de São Luiz do Paraitinga é considerada um patrimônio histórico, e não pode ser alterada”, explica Jorge Aith, da Elektro, que desenvolveu junto com a Celena, o Iphan e o Condephaat um LED de 3.000 K para atender aos requisitos desses órgãos.

FICHA TÉCNICA
Obra: novo sistema de iluminação pública
Local: São Luiz do Paraitinga (SP)
Idealização: Elektro
Projeto luminotécnico: Celena Participações
Luminárias: Extreme LED Square Modular de 114 W de lâmpadas Golden
Software e comissionamento de telegestão, com sistema de controle Streetlight Vision: Evolutix
Controladores inteligentes e rede dar Find mesh de comunicação por rádio frequência:Silver Spring Networks
Instalação: Matriz Eletricidade

Por: Dirceu Neto