Aneel homologa resultado de leilão que vai investir R$ 8,7 bilhões em linhas de transmissão

Aneel homologa resultado de leilão que vai investir R$ 8,7 bilhões em linhas de transmissão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou em fevereiro o resultado do leilão de transmissão nº 2/2017, realizado no dia 15 de dezembro na B3, em São Paulo. Ao todo, foram negociados 11 lotes para a construção, operação e manutenção de 4.919 km de linhas de transmissão. O deságio médio foi de 40,46%.

Os empreendimentos ficam na Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins. Esses lotes ofertados representam R$ 8,7 bilhões de investimentos em transmissão.

Ler mais

Aneel assina contratos de concessão de sete mil km de linhas de transmissão

Aneel assina contratos de concessão de sete mil km de linhas de transmissão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) assinou na última sexta-feira (11) os contratos de concessões das linhas de transmissão leiloadas no dia 24 de abril. Com 31 de 35 lotes arrematados, as concorrências tiveram um ágio de 36,47%, resultando em um investimento de R$ 12,7 bilhões durante os 30 anos do contrato com as concessionárias, que, inicialmente, terão prazo de 36 a 60 meses para conclusão das obras.

Os negócios somam cerca de 7.068,6 km e 13,1 mil mega-volt-amperes (MVA) de potência de subestações. São empreendimentos nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Ler mais

Governo Federal divulga leilões de energia para o segundo semestre

Governo Federal divulga leilões de energia para o segundo semestre

O Governo Federal anunciou nesta semana que vai fazer em setembro o leilão de quatro hidrelétricas, por meio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Com arrecadação prevista em R$ 11 bilhões, serão negociadas as usinas de São Simão (GO/MG), Jaguara (MG/MP), Miranda (MG) e Volta Grande (MG/SP).

As concessões terão prazo de 30 anos e foram incluídas no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). O vencedor será escolhido pela maior oferta de outorga, conforme o valor mínimo para cada usina, sendo R$ 6,7 bilhões, para a São Simão e R$ 4,3 bilhões para o Lote B com 3 sublotes, composto pelas usinas Jaguara, Miranda e Volta Grande.

Ler mais

Veja como funciona a telegestão de iluminação pública com LED

Veja como funciona a telegestão de iluminação pública com LED

O gerenciamento remoto da iluminação pública com base em luminárias de LED começa a ganhar corpo nas cidades brasileiras por meio principalmente de Parcerias Público Privadas (PPPs). A modernização das redes entrou de vez na agenda das prefeituras em janeiro de 2014, quando concessionárias repassaram aos municípios os ativos desse serviço, seguindo determinação da resolução normativa 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A telegestão garante que o operador da rede saiba a exata localização de cada ponto de luz e receba quase instantaneamente informações de desempenho e de falhas, como, por exemplo, lâmpadas queimadas no sistema. Essa agilidade facilita a manutenção da rede, pois os problemas não dependem apenas de rondas. Além dos alertas em casos de anormalidades, podem ser programadas varreduras periódicas, que fornecem dados para análises mais amplas do funcionamento da rede. As informações individualizadas dos pontos de consumo também permitem maior controle sobre os gastos das prefeituras com energia. Hoje, para efeitos de cálculo de consumo, a conta de eletricidade considera que cada lâmpada fica ligada 11h52 por dia, exceto em casos excepcionais. Com a telegestão, o consumo acumulado do sistema é registrado com exatidão. Por outro lado, o operador pode controlar a intensidade de cada luminária de LED, reduzindo ainda mais o uso de eletricidade.

Ler mais

Comunicado aos Assinantes PINI!

Clique aqui.