Cais do Valongo tem candidatura aceita para ser reconhecido como Patrimônio da Humanidade | Infraestrutura Urbana

Urbanismo

Notícias

Cais do Valongo tem candidatura aceita para ser reconhecido como Patrimônio da Humanidade

Processo contará, agora, com missão de avaliação formada por representantes da Unesco

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
3/Março/2016
João Paulo Engelbrecht/Divulgação: Iphan

Foi aceita na última terça-feira (1º) pelo Centro do Patrimônio Mundial a candidatura do Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, para ser reconhecido como Patrimônio da Humanidade. O local é conhecido por ter sido o principal porto de entrada de africanos escravizados no Brasil e nas Américas.

O dossiê de candidatura foi elaborado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Ele deve servir como base para uma missão de avaliação formada por representantes da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O trabalho técnico prosseguirá com a participação da comunidade e do Comitê Consultivo da Candidatura, composto por diversas instituições governamentais e da sociedade civil; inclusive representatividades da preservação e valorização da herança africana.

O Iphan diz ver com otimismo a possibilidade da inscrição do Cais na lista do Patrimônio Mundial, e que isso "representará o reconhecimento do seu valor universal excepcional, como memória da violência contra a humanidade representada pela escravidão, e de resistência, liberdade e herança, fortalecendo as responsabilidades históricas, não só do Estado brasileiro, como de todos os países membros da Unesco". Ainda acrescentou que a inclusão seria "o reconhecimento da inestimável contribuição dos africanos e seus descendentes à formação e desenvolvimento cultural, econômico e social do Brasil e do continente americano".

Em 20 de novembro de 2013, Dia da Consciência Negra, o Cais do Valongo foi alçado a patrimônio cultural da cidade do Rio de Janeiro, por meio do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH).