Cinco consórcios se candidatam às obras do túnel que ligará Santos ao Guarujá | Infraestrutura Urbana

Notícias

Infraestrutura Urbana

Cinco consórcios se candidatam às obras do túnel que ligará Santos ao Guarujá

Estrutura submersa de 762 m de extensão será composta por seis módulos de concreto pré-moldado. Custo previsto é de R$ 2,4 bilhões

Rodrigo Louzas, do Portal PINIweb
19/Março/2014

De acordo com a empresa de Desenvolvimento Rodoviário (Dersa), cinco consórcios já apresentaram documentação e propostas de metodologia de execução para a fase de pré-qualificação do processo licitatório para as obras do túnel submerso que ligará Santos e Guarujá, litoral de São Paulo. O empreendimento, que será construído em 36 meses, está orçado em R$ 2,4 bilhões, incluindo projeto, licenciamento, obras, desapropriações e reassentamentos.

As empresas interessadas na obra são as brasileiras: Odebrecht, Queiroz Galvão, OAS, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, C.R. Almeida, Mendes Júnior, Constran, Construcap, Encalso e Carioca Engenharia. Empresas da Espanha, Holanda, Itália e Coreia do Sul também participam da licitação.

Os grupos interessados contam com as seguintes formações:
Consórcio Túnel Santos/Guarujá: Odebrecht, Queiroz Galvão e OAS, além da holandesa Strukton Civiel Projecten
Consórcio Construtor Túnel Santos/Guarujá: Construções e Comércio Camargo Corrêa, a Carioca Christiani-Nielsen Engenharia e a espanhola Construtora Ferrovial Agroman. A a holandesa Boskalis e a mexicana Dragamex são citadas como subempreiteiras
Consórcio Túnel Submerso: Andrade Gutierrez, C.R. Almeida, Daewoo Engineering & Construction, da Coreia, e Obrascón Huarte Lain (OHL), da Espanha
Consórcio Travessia Submersa: Constran Construções e Comércio (líder) e Mendes Júnior Tranding e Engenharia estão associadas às italianas Salini Impregilo e Grandi Lavori Fincosit. Também consta a subempreiteira holandesa Mammoet Maritime
Consórcio Construcap-Encalso-FCC: Construcap Engenharia e Comércio (líder), Encalso Construções e a espanhola FCC Construccion

Segundo a Dersa, os consórcios interessados precisam comprovar que possuem competência técnica e saúde financeira para conduzir as obras de implantação do túnel.

O empreendimento terá profundidade mínima de 21 m, 762 m de extensão, 950 m de rampas e cerca de 4,5 km de obras viárias em superfície e em viadutos. Serão três faixas de rolagem por sentido e um espaço exclusivo para pedestres e ciclistas. A passagem para veículos comportará automóveis, caminhões e até uma linha de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Quando pronto, o túnel permitirá que a ligação entre os bairros de Macuco, em Santos, e Vicente de Carvalho, em Guarujá, seja feita em dois minutos, segundo estimativas do Governo de São Paulo. Atualmente, essa ligação é feita pela rodovia Cônego Domenico Rangoni (SP 055), com 43 km de extensão, e pelas balsas das Travessias Litorâneas da Dersa. A demanda atual na movimentação entre as áreas, em dias úteis, supera 40 mil pessoas.

A empresa de Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), responsável pelo gerenciamento do túnel, recebeu a consultoria da empresa holandesa Haskoning Nederland B.V., responsável por projetos similares em vários países.

A previsão é que as obras comecem em julho deste ano.