Ministério Público do Rio de Janeiro discute construção de arquibancada sobre a Lagoa Rodrigo de Freitas | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Notícias

Ministério Público do Rio de Janeiro discute construção de arquibancada sobre a Lagoa Rodrigo de Freitas

Projeto elaborado pelo BCMF Arquitetos será discutido pelo órgão e representantes do Comitê Rio 2016, responsável pelos empreendimentos olímpicos

Kelly Amorim, do Portal PINIweb
25/Fevereiro/2015
Divulgação

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e o Comitê Olímpico Rio 2016 se reuniram nesta quarta-feira (25) para discutir o projeto de instalação de uma arquibancada temporária para dez mil pessoas sobre a Lagoa Rodrigo de Freitas, que receberá provas de remo e canoagem durante as Olimpíadas.

O estudo conceitual da proposta, elaborado pelo escritório BCMF Arquitetos em 2008, está sendo questionado por ambientalistas, uma vez que a Lagoa é tombada por decreto municipal desde 1990 e considerada Área de Preservação Permanente.

O inquérito civil público que investiga a proposta foi aberto em abril de 2014 pela 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural da Capital, e a reunião foi convocada pelo MPRJ por meio de ofício expedido ao diretor de instalações do Comitê, Luís Henrique Ferreira. O encontro visa analisar e debater possíveis modificações no projeto, incluindo a necessidade de elaboração de um estudo de viabilidade ambiental.

Se aprovado originalmente, o empreendimento orçado em R$ 36 milhões no Dossiê de Candidatura do Brasil como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 prevê a construção de uma arquibancada com 15 metros de altura e 250 metros de comprimento sobre uma plataforma flutuante de 175 metros de extensão. O acesso à estrutura seria feito pela Avenida Borges de Medeiros, que margeia a Lagoa.

Em nota, o Comitê Rio 2016 informou que "os estudos sobre o que será construído no local ainda estão sendo elaborados".