Estudo do Sinaenco avalia conservação de obras de infraestrutura e edifícios históricos de Salvador | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Notícias

Estudo do Sinaenco avalia conservação de obras de infraestrutura e edifícios históricos de Salvador

Aumentam número de estruturas que precisam de manutenção na capital baiana em relação a 2008

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
30/Junho/2017
Divulgação: Prefeitura de Salvador

Estudo técnico realizado pelo Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) mostra que pontes, viadutos, passarelas, marquises e edifícios históricos de Salvador, na Bahia, estão com problemas devido à falta de manutenção. Essa já é a terceira avaliação realizada pela entidade no local, sendo que em 2008 foram registrados 14 pontos com problemas e, neste novo estudo, são 17 novos casos.

"Embora alguns dos problemas detectados em 2006, data do primeiro estudo, tenham sido parcialmente solucionados, diversos bens públicos encontram-se deteriorados, pela absoluta falta de manutenção preventiva", comentou o presidente da regional Bahia do Sinaenco, engenheiro Carlos Stagliorio.

Foi realizada uma radiografia da situação de 20 viadutos, duas pontes, uma passarela, um túnel, marquises da Baixa do Sapateiro, uma estação elevatória e de edifícios tombados do Centro Histórico de Salvador. Entre eles, a terceira ponte sobre o rio Jaguaribe apresenta o pior estado de conservação. Os principais problemas estão na estrutura, nas armaduras (ferragens) expostas além de grande avanço de corrosão após descolamento de parte da cobertura do concreto de proteção, na base do tabuleiro, no pilar de sustentação e nas vigas, que podem resultar na falência da estrutura caso não forem recuperadas a tempo, de acordo com os especialistas.

Outras sete obras necessitam de ação imediata dos responsáveis pela manutenção, para garantir a segurança dos cidadãos, veículos, bicicletas e demais que transitam no local.

"A elevada alcalinidade das águas marinhas, espalhadas pelo vento, somam-se aos gases emitidos pelos veículos, indústrias e outras fontes de poluição para atacar o concreto e as suas ferragens. O antídoto para esses inimigos das estruturas de concreto de pontes, viadutos e edificações, entre outras, chama-se manutenção permanente, preventiva e corretiva, que permite prolongar a vida útil dessas estruturas por muitas décadas ou, no mínimo, garantir que atinjam os 50 anos previstos para a sua duração, em bom estado de conservação", ressalta Stagliorio.

Em 2007, o Sinaenco realizou um estudo sobre a atual situação dos estádios das cidades candidatas a sediar a Copa do Mundo de 2014 que apresentou o Estádio da Fonte Nova como o pior estado entre os 29 candidatos. Após o estudo, em 25 de novembro, parte da arquibancada do Fonte Nova desabou, matando sete pessoas. Recentemente houve outro caso de desabamento, no Centro de Convenções de Salvador onde parte da cobertura desabou, felizmente, sem vítimas.

Para acessar o estudo Infraestrutura de Salvador: Prazo de Validade Vencido, clique aqui.