Construtoras do MCMV no Rio Grande do Norte colocam 4,5 mil funcionários em aviso prévio trabalhado | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Notícias

Construtoras do MCMV no Rio Grande do Norte colocam 4,5 mil funcionários em aviso prévio trabalhado

Decisão, acertada com o Sinduscon-RN, é consequência de atrasos dos pagamentos do Governo Federal

Kelly Amorim, do Portal PINIweb
4/Maio/2015
Divulgação: Prefeitura de Natal

As construtoras Certa, Marco Engenharia, Cageo, Tecnart, Zeta, e Monte Neto, responsáveis pela construção de 4,2 mil unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) no Rio Grande do Norte, aceitaram retomar as obras, paralisadas na última semana por causa de atrasos nos pagamentos do Governo Federal, e anunciaram a demissão gradativa a partir desta segunda-feira (4) de 4,5 mil trabalhadores. Em reunião com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon-RN), as empresas decidiram manter os trabalhadores em aviso prévio trabalhado.

De acordo com o Sinduscon-RN, os atrasos no Estado variam entre 60 e 90 dias, e os problemas começaram a se agravar em novembro do ano passado, quando o governo estendeu o prazo de pagamento. Em entrevista à Inter Tv, o presidente regional do Sindicato, Arnaldo Gaspar Júnior, informou que a dívida do Ministério totaliza R$ 28 milhões.

Ainda segundo a entidade, o Ministério das Cidades prometeu a liberação de R$ 7 milhões ainda nesta semana para que as empresas evitem a demissão de funcionários. Segundo o órgão estatal, até o dia 28 de abril já haviam sido repassados R$ 5 bilhões para pagamento de compromissos como aquisição de terreno, obras e trabalho social do MCMV.

A intenção das construtoras de demitir os funcionários, segundo Gaspar Júnior, tem por objetivo garantir que os trabalhadores recebam todos os direitos rescisórios devidos.