Conheça o processo produtivo das aduelas que devem compor a Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo | Infraestrutura Urbana

Transporte

Notícias

Conheça o processo produtivo das aduelas que devem compor a Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo

Até o momento, 7,3 mil anéis já foram produzidos para os túneis que vão compor os 15,3 km de extensão da nova linha

Luísa Cortés, do Portal PINIweb
16/Fevereiro/2016

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conheceu na última segunda-feira (15) o processo produtivo da fábrica de aduelas da Linha 6-Laranja do Metrô. A unidade vai produzir os anéis de concreto referentes aos 15,3 km de extensão da nova linha. Atualmente, já há material suficiente para construir 1,5 km de túnel.

A fábrica está localizada em uma pedreira, com uma área de aproximadamente 40 mil m², e tem capacidade para produzir 15 anéis completos por dia, o que equivale a 27 metros de extensão. Até o momento, a sua produção já alcançou os 7,3 mil anéis, responsáveis por consumir 165 mil m³ de concreto, 66 mil toneladas de cimento e cinco mil toneladas de aço. Cada anel pesa 60 toneladas, e possui dimensões de 10,2 metros de diâmetro externo e 9,4 de interno. Sua largura é de 1,8 metro.

O anel é composto por nove aduelas e por diversos acessórios, como parafusos, pinos de união e borrachas de vedação. A linha de produção de cada um é formada por dez etapas, desde a limpeza das formas até a desforma. Depois de estocados por 28 dias - tempo ideal para garantir a cura do concreto -, os segmentos podem ser transportados e colocados dentro da tuneladora, que coloca a aduela até a frente do equipamento. Após a escavação, elas são montadas pelo equipamento, formando os anéis de concreto que vão revestir o túnel.

A fábrica tem uma estação de tratamento de água (ETA), uma de esgoto (ETE) e um reservatório para água de reuso e aproveitamento da água de chuva. Toda água utilizada no processo de fabricação das aduelas é tratada e todas as etapas de trabalho que envolvem a limpeza utilizarão água de reuso, segundo a Move São Paulo, Consórcio Construtor responsável pela obra formado pelas construtoras Norberto Odebrecht, Queiroz Galvão e Constran.

"Já estamos com dois mil trabalhadores diretos em 10 frentes de trabalho. Para cada emprego direto são gerados outros três indiretos", disse Alckmin.

Além disso, o governador assegurou que o primeiro tatuzão que será usado na escavação da linha já está pronto. Fabricado na China e com tecnologia francesa, ele tem 10,2 metros de diâmetro. Ele deve desembarcar no Brasil pelo Porto de São Sebastião, e o seu embarque está previsto para a primeira quinzena de março. A obra vai utilizar dois tatuzões ao mesmo tempo, um vindo para Brasilândia, na zona Norte, e o outro vai para São Joaquim, zona Sul.

A Linha 6-Laranja contará com 15 estações e 15,3 km, e deverá transportar mais de 633 mil pessoas por dia.