IPT é contratado para gerenciar obras do Piscinão do Paço, em São Bernardo do Campo (SP) | Infraestrutura Urbana

Saneamento

Notícias

IPT é contratado para gerenciar obras do Piscinão do Paço, em São Bernardo do Campo (SP)

Para prefeitura, execução das construtoras OAS e Serveng Civilsan está abaixo do esperado. Custo também aumentou em R$ 319 milhões

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
24/Maio/2017

A Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo contratou na última semana o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para realizar o cronograma, diagnóstico e gerenciamento das obras do projeto nomeado Piscinão do Paço. O contrato terá duração de 12 meses no valor de R$ 3,7 milhões.

Valmir Franzoi/Divulgação: Prefeitura de SBC

O IPT será responsável pela execução de serviços técnicos especializados para quantificar todos os elementos constituintes, comparar planilhas de medições das obras de intervenção para reduzir o risco de inundações na Bacia Hidrográfica do Ribeirão dos Meninos Superior, por verificar os projetos básico e executivo e por realizar o acompanhamento técnico para a execução de um túnel, focando no fim das enchentes no centro da cidade de São Bernardo.

"Em um primeiro momento vamos verificar toda a parte dos serviços executados. A outra parte será de acompanhamento das ações do túnel. Essas duas atividades vão dar o tom inicial dos trabalhos. Este projeto é uma oportunidade do IPT cumprir sua missão estatutária, que é melhorar a qualidade de vida da municipalidade. Para atingir este objetivo, é imprescindível que o Instituto esteja em estreito contato com o poder público", diz o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando.

A obra está sob responsabilidade do Consórcio Centro Seco, composto pelas construtoras OAS e Serveng Civilsan. O Piscinão do Paço tem o objetivo de armazenar até 220 milhões de litros, interligado por galerias construídas sob a Rua Jurubatuba e a Avenida Aldino Pinotti.

"A obra está em um ritmo abaixo do desejado. Agora, com a primeira análise do IPT, que ocorrerá em 180 dias, os cronogramas físico e financeiro serão detalhados. Poderemos assim ter um diagnóstico e pedir para acelerar e estimar o prazo definitivo de término dos serviços. Este compromisso vai dar segurança à obra. Queremos devolver o urbanismo ao centro e fomos buscar o que há de mais respeitado no mercado", explicou Morando.

O valor estimado para as obras foi de R$ 294 milhões no início do projeto em dezembro de 2013, porém em setembro de 2016 o aditivo aprovado passou a estimar R$ 319 milhões para conclusão das obras.