Sistema de laje acelera obras da Linha 5-Lilás, em São Paulo | Infraestrutura Urbana

Transporte

Tecnologia

Sistema de laje acelera obras da Linha 5-Lilás, em São Paulo

Lajes alveolares oferecem agilidade e versatilidade às obras da expansão do Metrô na capital paulista

Dirceu Neto
Edição 74 - Setembro/2017
Lajes alveolares compõem estrutura de túnel na estação Borba Gato da Linha 5-Lilás do Metrô

Em execução desde maio de 2011, as obras das novas estações da Linha 5-Lilás, do Metrô de São Paulo, têm sido marcadas pelo uso de lajes alveolares em sua estrutura. A escolha pelo material se dá graças a atributos que passam pela agilidade na montagem e versatilidade, uma vez que esse tipo de laje pode ser utilizado em qualquer sistema construtivo e atende a diferentes medidas de vão, desde que se respeite as prescrições normativas.

Além disso, há casos em que o material foi utilizado para o poço da estação. 'Existe um poço de acesso para o público com as escadas rolantes dentro da estação e tem outro poço, que fica dentro desses prédios. Esse poço possui uma escadaria, e a parte de laje desses poços de acesso foi toda feita com pré-moldado também', afirma André Pagliaro, sócio-fundador da Alveolare Brasil.

Como cada estação tem sido executada por uma construtora ou consórcio diferente, a quantidade de fornecedores é variada. A Alveolare Brasil fabricou as lajes para as estações Alto da Boa Vista e Borba Gato, ambas construídas pelo consórcio Galvão Serveng, e também a estação Campo Belo, executada pela construtora Mendes Júnior.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Infraestrutura Urbana

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.