Macaé planeja expansão | Infraestrutura Urbana

Tecnologia

Macaé planeja expansão

Reforma e ampliação do sistema viário, obras de macrodrenagem e revitalização urbanística preparam a capital brasileira do petróleo para os próximos 20 anos de crescimento

Por Flávia Perez
Edição 6 - Agosto/2011

DIVULGAÇÃO: PREFEITURA DE MACAÉ
Enfrentar os desafios do crescimento e preparar a cidade para o desenvolvimento econômico. Com essas metas, o projeto urbanístico "Planejando Macaé" apresenta soluções e alternativas para o trânsito, a infraestrutura urbana e a reforma de espaços que fazem parte da história e da cultura de Macaé, município de 200 mil habitantes localizado a 182 km do Rio de Janeiro.

Idealizado pela equipe técnica da prefeitura de Macaé em parceria com o arquiteto e urbanista Jaime Lerner, o projeto foi estruturado após a realização de um estudo que possibilitou a definição do planejamento estratégico e a elaboração das diretrizes para a reformulação urbanística da cidade.

A alavancada de crescimento de Macaé começou nos anos 70, após a implantação da sede operacional da Petrobras Bacia de Campos na cidade. Mas o planejamento urbano não acompanhou o desenvolvimento econômico do município e Macaé cresceu de forma desordenada.

Por isso, o novo projeto integra medidas de curto prazo, com obras que vão impactar diretamente o cotidiano da população, e ações de médio e longo prazo, que prepararão a infraestrutura da cidade para os próximos 20 anos, considerando o crescimento previsto em função da nova etapa de exploração de petróleo na região: o pré-sal.

A recuperação e ampliação da RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto), a reformulação da orla de Imbetiba, que inclui criação de ciclovia, plataforma cultural e de uma passarela que funcionará como mirante, a macrodrenagem dos canais de águas pluviais e a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) serão as primeiras obras do "Planejando Macaé".

As etapas de médio e longo prazo do projeto contemplam a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), metrô de superfície que ligará o Centro ao eixo Sul da cidade por um trecho de 12 km, e a revitalização da avenida Rui Barbosa e do Mercado de Peixes, que será transformado em Mercado Municipal. Veja detalhes dos projetos.

 

Orla de Imbetiba

Requalificação da orla é chamariz do projeto "Planejando Macaé". Veja os números do programa:

n 150 mil moradores beneficiados com as obras de macrodrenagem e saneamento;
n Ampliação da capacidade de escoamento das águas pluviais de 3 mil l/s para 10.500 l/s
n 4 km de canais de macrodrenagem pluvial;
n 150 km de redes de esgoto;
n 15 mil ligações prediais domiciliares;
n 5,9 km de interceptores;
n 15 estações elevatórias de esgotos;
n 12 km de metrô de superfície ligando o Centro ao eixo Sul da cidade;
n Cerca de 9 mil passageiros, por dia, no VLT de Macaé.

 

Kaná Manhães
Na primeira etapa do projeto de macrodrenagem, a Prefeitura de Macaé investiu R$ 70 milhões, e na segunda etapa, de saneamento - incluindo a construção da ETE, investirá R$ 207 milhões
Macrodrenagem

Para solucionar os problemas de enchentes causadas por chuvas fortes na região, o projeto de drenagem e saneamento da cidade prevê a implantação de canais e parques que permitirão o escoamento das águas, diminuído em função do assoreamento dos canais existentes e da impermeabilização do solo. O município de Macaé está localizado ao nível do mar e alguns bairros encontram-se abaixo do nível do mar.

Kaná Manhães
No trecho que se estende do bairro Riviera até a rua Dr. Télio Barreto (rua paralela ao rio Macaé, no Centro), um canal artificial com extensão de cerca de 2,5 km foi construído sobre o canal já existente, aumentando a largura da cavidade de 1 m para 6 m. A criação de uma nova elevatória com quatro bombas de sucção no local ampliará ainda mais a capacidade de escoamento. Segundo o secretário de obras da Prefeitura de Macaé, Tadeu Campos, "após a conclusão das obras de macrodrenagem, a capacidade de escoamento de águas pluviais saltará de 3 mil l/s para 10.500 l/s, independentemente das comportas estarem abertas ou fechadas".

A próxima etapa, prevista para este ano, será a construção da Estação de Tratamento de Esgoto de Virgem Santa (ETE), às margens da via expressa Linha Verde, numa área reservada onde há canais de deságue e um ecossistema bem posicionado para receber a estação. Em 2012, serão iniciadas as obras de saneamento, cuja complexidade exigirá um prazo de cinco anos para sua conclusão. "A meta da prefeitura é coletar e tratar o esgoto de 100% das casas, dos bairros periféricos ao Centro urbano da cidade", afirma o secretário de obras. As obras de macrodrenagem e saneamento vão beneficiar cerca de 150 mil moradores de 30 bairros diferentes, dos quais cinco encontram-se em torno de 25 cm abaixo da linha do mar.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>