Recuperação e reforço de estruturas | Infraestrutura Urbana

Transporte

Tecnologia

Recuperação e reforço de estruturas

Por Gisele Cichinelli
Edição 49 - Julho/2015
 

Ambientes expostos a agentes agressivos e ações do tempo comprometem a vida útil de obras de infraestrutura, como pontes, viadutos, elevados, barragens, píers, atracadouros e torres eólicas. De um modo geral, fissuras, manchamentos, formação de 'nichos' (vazios) de concretagem e carbonatação figuram entre as principais manifestações patológicas, ocasionando, dentre outras consequências, a despassivação do aço e a corrosão das armaduras, além de prejuízos estéticos em estruturas de concreto armado ou protendido.

FOTOS: DIVULGAÇÃO UNISINOS
Preenchimento inadequado de junta de dilatação é uma das causas de patologias em obras de arte

Dentre as principais causas dessas anomalias está o uso de materiais defeituosos, como agregado reativo ou água contaminada para produzir o concreto. 'São as chamadas manifestações patológicas induzidas ou incorporadas. Mas também há causas que atuam de 'fora para dentro', conta o professor Bernardo Tutikian, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e do Instituto Tecnológico em Desempenho da Construção Civil da Unisinos. Ele lembra que a sobrecarga dos veículos no tabuleiro de uma ponte, a obstrução das juntas de dilatação, a presença de íons cloretos oriundos da névoa salina do mar em obras costeiras e o gás carbônico presente em grandes cidades são algumas das causas extrínsecas que podem promover fissuras, lascamentos, manchamentos, escorrimentos, corrosão e deformações excessivas nos elementos estruturais.

Conteúdo exclusivo para assinantes da revista Infraestrutura Urbana

Outras opções