Acordo bilionário entre Brasil e China pode retomar expansão da infraestrutura, mas precisa sair do papel | Infraestrutura Urbana

Financiamento

Captação de recursos

Acordo bilionário entre Brasil e China pode retomar expansão da infraestrutura, mas precisa sair do papel

Por Luiza Carvalho
Edição 49 - Julho/2015
 

DIVULGAÇÃO PALÁCIO DO PLANALTO
Visita do primeiro-ministro chinês Ji Keqiang ao Brasil

Da China chegou em maio um conjunto de promessas que o governo e o empresariado brasileiros procuram transferir do vago mundo das palavras para a sólida realidade composta de concreto e tijolos. A visita do primeiro-ministro chinês Ji Keqiang ao Brasil resultou em 36 acordos prevendo investimentos de US$ 53 bilhões, dos quais mais da metade tem como escopo a infraestrutura do Brasil. O país asiático busca uma oferta plena e barata, principalmente de bens agropecuários e minerais, para a mais populosa e mais rica nação do mundo.

Entre promessas sem um prazo definido, como a construção da ferrovia Transoceânica, e dinheiro na conta de imediato, como aquele para aliviar o prejuízo que teve de ser reconhecido pela Petrobras com episódios recentes de corrupção, os chineses trouxeram ao Brasil perspectivas alentadoras para infraestrutura terrestre (a ferrovia e empreendimentos em energia), marítima (a negociação de 24 navios da Vale para envio de minérios) e aérea (compra de aviões da Embraer e até mesmo aprofundamento de parcerias no setor espacial).

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da revista Infraestrutura Urbana

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.