Arena Corinthians ganha categoria Estádios da Copa, do Prêmio PINI 2014 | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Especial Prêmio Pini / Resultados 2014

Arena Corinthians ganha categoria Estádios da Copa, do Prêmio PINI 2014

Bruno Loturco
Edição 45 - Dezembro/2014
 

OBRAS DE DESTAQUE EDITORIAL | ESTÁDIOS DA COPA | 29,12% dos votos

 

Fotos: Divulgação portal da Copa/ME
Substituição da tecnologia adotada para as fundações teve como finalidade evitar problemas relacionados a eventuais rochas no terreno. Cronograma foi atendido com uso de estacas pré-moldadas e bate-estacas hidráulicos

Não foram poucos os obstáculos enfrentados na construção da Arena Corinthians, a começar pela presença de dois dutos de gás que atravessavam o terreno e inviabilizavam o início da terraplenagem. Somente após a realocação dos dutos, concluída com seis meses de atraso, é que começaram os trabalhos de fundação. Nessa etapa, mais um problema: o projeto original, que previa estacas hélice e estacões, teve de ser alterado para adequar o cronograma ao prazo.

A adoção de estacas pré-moldadas centrifugadas - cravadas com uso de dez bate-estacas hidráulicos - viabilizou a entrega da sede da abertura e do primeiro jogo da Copa do Mundo 2014. Antes, entretanto, a Odebrecht, empresa responsável pela construção, executou as contenções, que em alguns pontos chegaram a ter 14 m de altura e 400 m de extensão, e montou a estrutura - primordialmente pré-moldada, com elementos produzidos no próprio canteiro para evitar deslocamentos pela cidade.

Na execução da cobertura, uma viga com 420 t caiu sobre a fachada do prédio Leste, vitimando fatalmente dois operários. A estrutura que encoberta 48 mil assentos apoia-se sobre 32 treliças metálicas e é revestida por dupla membrana. É também na cobertura que estão instaladas células fotovoltaicas para geração de energia elétrica e o sistema de iluminação, concebido para otimizar transmissões em 3D e em alta definição. Um telão com 170 m x 20 m cobre toda a fachada Leste. A tecnologia também está presente no gramado, que conta com sistema de refrigeração e irrigação pontual, o que proporciona aumento da resistência da grama e uniformidade, inclusive de cor.

À época da Copa do Mundo 2014, o estádio ganhou arquibancadas provisórias que aumentaram em 20 mil os lugares para torcedores.

A ligação entre as alas Norte, Oeste, Sul e Leste se dá por meio das arquibancadas inferiores. O lado Oeste, entretanto, é mais baixo do que o seu oposto, ficando à sombra. Esplanadas atrás dos gols permitem ver as arquibancadas a partir da avenida Radial Leste.

FICHA TÉCNICA
Projetos - arquitetura:
Escritório CDC Arquitetos e DDG Arquitetura; terraplanagem/drenagem: Canhedo- Beppu; estrutura de concreto e metálica: EGT/ FHECOR; estrutural/ cobertura metálica: Werner Sobek; detalhamento de estrutura e cobertura metálica: Brafer/Alufer; hidráulica/ elétrica/telecomunicações: MBM Engenharia; arcondicionado: Tecnika Engenharia; luminotécnica: T. Kondos Associados; urbanização e paisagismo: SWA Group; design de interiores: Gensler. construção - coordenação e operação: Sport Club Corinthians Paulista/ Arena Fundo de Investimento Imobiliário; construtora: Odebrecht Infraestrutura; fornecedores - concreto: Holcim/Engemix/ Concreserv; aço: Gerdau; Cobertura: Alufer/ Brafer; pré-moldados: CPI Engenharia; fôrmas para concreto: Mills/Peri/Doka; elevadores: Otis