Tecnologias da Copa | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Tecnologias da Copa

Saiba quais as inovações em fundação, estrutura, revestimento e cobertura dos 12 estádios que sediarão o torneio mundial

Edição 39 - Junho/2014

Daniel Beneventi

As obras de modernização que qualificaram os 12 estádios brasileiros a sediarem, a partir deste mês, os jogos da Copa 2014 impuseram desafios executivos de grande complexidade à engenharia nacional. Padrões e desempenhos termoacústicos, de luminosidade, visibilidade, acessibilidade, ventilação e sombreamento, de sinalização e fluxo de multidões, conforto e orientação do público, de telecomunicação e energia, entre tantos outros, foram postos à prova em escala inédita em obras deste porte no País, ensejando o desenvolvimento de diferentes sistemas construtivos.

Um dos exemplos são as coberturas. Para garantir isolamento termoacústico e translucidez, foram especificadas mantas impermeáveis, antiaderentes, autolimpantes, tensionadas, de borracha e de materiais diversos, entre PVC, TOP e PTFE. Telhas de aço, de alumínio, de policarbonato e vidro também foram aplicadas. E se viu o uso inédito de diferentes sistemas de pré-montagem, içamento e colocação de cabos tensionados, estruturas metálicas, além de pórticos e treliças de grandes dimensões e geometrias complexas.

A adoção de pré-moldados de concreto foi generalizada e acelerou o trabalho nos canteiros ao mesmo tempo em que exigiu um rigoroso plano logístico de transporte horizontal e vertical. Nas arquibancadas, adotaram-se elementos pré-fabricados de concreto e aço, inclusive com módulos desmontáveis e assentos rebatíveis. O amortecimento das cargas flutuantes, decorrentes do movimento do público, também foi enfrentado com diferentes soluções de engenharia.

Algumas tecnologias de ecoeficiência ganharam força. Grande parte dos estádios conta com sistemas de coleta e aproveitamento da água de chuva, bem como sistemas fotovoltaicos para atendimento da demanda energética.

Nas próximas páginas, 12 reportagens técnicas apresentarão as principais tecnologias construtivas utilizadas nas obras dos estádios-sede. O resultado é um panorama técnico de inovações em fundação, estrutura, revestimento e cobertura. Confira.