Ginásio poliesportivo | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Ginásio poliesportivo

A especificação e o dimensionamento corretos de cada subsistema possibilitam construção adequada à múltiplas modalidades esportivas. Veja referenciais de projeto

Por Simone Sayegh
Edição 3 - Maio/2011

Dimensionamento das quadras
A primeira providência é checar quais modalidades o ginásio irá atender, e se sediará competições nacionais ou internacionais (cada confederação tem regras próprias, deve-se seguir a mais restritiva). No dimensionamento deve-se prever não só a área de jogo mas a área de segurança no entorno da linha de marcação, que de acordo com Castro Mello deve ter cerca de 2 m. Em linhas gerais, uma quadra de ginásio deve ter uma área de 25 m x 45 m, incluída a linha de segurança, porque uma quadra de basquete necessita apenas de 15 m x 28 m mas futsal e tênis precisam ambos de uma área de 20 m x 40 m.

Pisos
Esse item permite muitas variáveis, dependendo do nível da quadra. Alguns espaços "multiusos" fazem a demarcação das linhas direto no piso de concreto. Castro Mello recomenda que pelo menos seja previsto um piso em manta específico para dias de jogos, que pode ser retirado para outros eventos, para não danificar. "O piso de concreto para os jogos é totalmente desaconselhável, não absorve esforços e gera problemas físicos nos participantes", explica. As linhas de marcação devem ser relacionadas aos jogos mais praticados no ginásio. O piso ideal deve apresentar um pequeno grau de elasticidade que absorva não mais do que 30% do esforço dinâmico, e a empresa deve apresentar critérios que garantam a qualidade do material, como por exemplo, módulo de elasticidade, padrões de deflexão, energia de recuperação, reflexão da bola, classificação dos materiais, entre outros. O material deve ser antiderrapante e oferecer segurança contra acidentes.

"Há casos em que o melhor piso de madeira malcalafetado gera cortes nos atletas, por causa da proeminência de lascas", explica Mello. Além disso, o piso deve ser de fácil manutenção e prever um mínimo de aberturas (tomadas de solo, pontos de fixação de aparelhos etc.). A cor do piso deve contrastar com as linhas de demarcação e com a cor das bolas, mas não deve ser ofuscante. Existem normas específicas para a instalação de cada tipo de piso, como a NBR 10591:2008 que determina a gramatura das superfícies têxteis e a NBR 15799:2010, que padroniza e classifica o acabamento dos pisos de madeira.

Fonte: castro e mello
Planta do piso térreo do ginásio projetado pelo escritório Castro Mello mostra quatro saídas para o público e posicionamentos de escadas, acessos e área de circulação para rápida evacuação

Saídas
O correto dimensionamento prevê uma saída a cada 30 cadeiras. As bocas de acesso, chamadas popularmente de vomitórios, têm largura em função da capacidade do estádio, mas deve escoar todas as pessoas em oito minutos. "Quando tratamos de grandes públicos, é importantíssimo deixar a circulação maior até do que prevista em normas de segurança, para que a movimentação dos espectadores possa ser mais livre", explica.

O entorno das instalações deve ser amplo para a rápida evacuação do local em uma emergência, e também para possibilitar a eventual divisão de torcidas. A segurança prevista pelo corpo de bombeiros engloba basicamente o fácil acesso das viaturas, saídas de emergência, extintores, hidrantes e mangotinhos, alarme de incêndio, iluminação e sinalização de emergência, segurança estrutural e de acabamento contra incêndio e formação de brigada.

Arquibancadas
Em ginásios, a fim de limitar o tamanho e manter uma visibilidade perfeita, é indicado que a primeira fileira da arquibancada seja no mesmo nível da área do jogo, com apenas um recuo relacionado à área de escape. A largura de cada faixa de arquibancada deve considerar uma pessoa sentada e outra em pé, circulando. Em geral destina-se 45 cm para a cadeira, em um total de 80 cm de largura de faixa. Para o assento reserva-se normalmente 45 cm a 55 cm de largura. Em São Paulo, a IT 12 (Instrução Técnica) do Corpo de Bombeiros prevê uma pessoa a cada 50 cm. As cadeiras devem ser colocadas a 42 cm de altura em relação ao piso e o encosto deve ter pelo menos 30 cm de altura, para evitar conflitos.

"Tem que ficar claro que arquibancada não é escada, não dá para fixar medidas como 80 x 40", adverte Mello. A curva de visibilidade, dada pela inclinação da arquibancada resulta em degraus menores nas faixas perto da área de jogo, que podem começar com cerca de 25 cm, e degraus maiores, até 60 cm, quanto mais distantes.

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>