Manaus pode ser a primeira capital a substituir 100% dos sistemas convencionais de iluminação por lâmpadas de LED

Com 42.268 novos pontos de iluminação de LED, a cidade de Manaus é a capital que mais investe na substituição de tecnologia. São gastos cerca de R$ 85 milhões anualmente – somente em 2015, foram R$ 110 milhões

Atualmente, Manaus (AM) tem 33,4% de sua rede de iluminação com luminárias de LED, e a previsão é de que esteja 100% coberta pela tecnologia até 2020.

Segurança e modernidade: o novo sistema de iluminação tem como objetivo dar qualidade de vida à população

Segundo dados da Unidade Gestora de Projetos Municipais e Abastecimento de Energia Elétrica (UGPM Energia), esse volume de novos pontos de iluminação de LED representa uma economia no consumo de energia na ordem de 9.953.033 kWh por ano. Se quantificada em cifras, essa redução significará, em 2017, uma economia de R$ 3,8 milhões.

A modernização do parque com a instalação das luminárias de LED começou em 2014, devido à Copa do Mundo – Manaus foi uma das cidades-sede do evento. “Foi feita em algumas poucas ruas experimentalmente naquele ano. O projeto deslanchou mesmo a partir de 2015”, explica Rafael Assayag, coordenador da UGPM Energia, criada justamente há dois anos e responsável pela iluminação pública da capital.

Conforme conta Assayag, no início do projeto a ideia era fazer a substituição das lâmpadas amarelas (vapor de sódio) por lâmpadas brancas (vapor metálico). Mas, assim que a tecnologia de LED se desenvolveu, optou-se por fazer a substituição completa por LED. “A nossa prioridade é trocar as luminárias antigas, que são as de vapor de sódio amarelo. E só quando essa substituição estiver completa vamos trocar a iluminação de vapor metálico.” Atualmente, o parque de iluminação da cidade conta com 11.242 luminárias de vapor metálico.

A escolha dos bairros que primeiro receberam a nova iluminação se deu por alguns critérios adotados pela prefeitura. Antes de tudo, o projeto está focado em dar maior sensação de segurança e qualidade de vida à população e, com isso, fazer com que os moradores da cidade aproveitem mais os espaços públicos.

Sendo assim, a mudança começou pelo eixo viário da cidade, formado pelas principais avenidas onde trafegam mais pedestres. “São as vias em que há um grande fluxo de ônibus, então as pessoas caminham a partir dessas vias para pegar ônibus para o trabalho ou, saindo do trabalho, para voltar para casa”, afirma o coordenador. Essa etapa foi finalizada em 28 de fevereiro de 2016.

A segunda fase do projeto envolveu os equipamentos públicos urbanos, que são os parques, as praças e as academias a céu aberto. Foram instaladas luminárias de LED nesses locais e também em um raio de cerca de 500 m a 1.000 m no entorno. “Nós queríamos que a população se sentisse convidada a permanecer à noite nesses lugares, para fazer exercícios físicos ou conviver em família – sair de casa e andar numa rua iluminada para chegar até o local”, explica Assayag.

Legado: a Copa do Mundo foi a responsável pelo início da implantação do sistema de LED

Na atual etapa do processo, estão sendo substituídas as luminárias no entorno de escolas que funcionam à noite e unidades de saúde que também eventualmente estejam abertas no período noturno. “A gente faz a iluminação das vias laterais e do raio no entorno, a fim de inibir os furtos e roubos que aconteciam nesses pontos de maior fluxo de pessoas”, conta o coordenador.

Para calcular de que maneira a nova iluminação impacta a melhoria da segurança pública, a prefeitura escolheu o bairro Colônia Antônio Aleixo como área experimental. Trata-se de um local com característica singular, que tem 10.000 habitantes e se encontra isolado do restante da cidade, na Zona Leste de Manaus. Desde outubro de 2016, quando começaram a ser instaladas as novas luminárias, o índice de criminalidade levantado pela prefeitura indicou uma redução de 53% em furtos, roubos, latrocínios e homicídios, em abril de 2017.

O coordenador da UGPM Energia, Rafael Assayag, explica que, em meados de 2019, o projeto deve envolver mais especificações. “Existem outros projetos que correm em paralelo, que é a parte de fazer o sistema geral de controle e da geração própria de energia, e também testar luminárias que acoplem a ela a questão da captação de imagens”, explica ele, que ressalta a medida a fim de combater o furto de luminárias de LED em Manaus – um desafio que a prefeitura tem enfrentado.

FICHA TÉCNICA

Iluminação pública de Manaus (AM)
Quantidade de luminárias instaladas: 47.727
Vias alcançadas (ruas e avenidas): 2.063
Redução do consumo (anual): 9.953.033 kWh
Início do projeto: 2014
Previsão do término: 2020
Investimento: em torno de R$ 85 milhões/ano
Instalação e manutenção do sistema: Consórcio Manausluz
Produtos utilizados: Street Light (V2) e Street Light (Pico-LE) da Ledstar
Extensão: 19,9 km
Fornecedora de luminárias: Unicoba

Por Dirceu Neto