Conheça o sistema de laje alveolar

O QUE É 

O modelo de laje alveolar fornecido pela Alveolare Brasil para as obras de expansão do Metrô de São Paulo é constituído de painéis de concreto protendido que possuem seção transversal e alvéolos longitudinais. Essas peças são produzidas em concreto de alta resistência à compressão (fck = 50 MPa) e com aços especiais para protensão. O alvéolo longitudinal serve para garantir uma redução do peso da laje, além de melhor desempenho estrutural. “Em uma laje de 16 cm, por exemplo, consomem-se 8 cm só de concreto. Então, retira-se metade do peso da laje mantendo praticamente a mesma resistência”, explica André Pagliaro, sócio-fundador da empresa fornecedora. Os alvéolos são limitados por paredes de concreto chamadas de alma ou nervuras.

AS VANTAGENS DO PRODUTO 

Por ter diversos perfis que variam de acordo com a altura, as lajes alveolares formam um sistema flexível, capaz de se adaptar a praticamente todos os tipos de edificação. “Elas permitem o uso em qualquer tipo de obra. Pode ser de estrutura pré-moldada de concreto, pode ser de estrutura metálica, pode ser uma obra com pilar e viga moldados in loco”, afirma Pagliaro, que destaca a utilização do produto para edifícios altos, o que não ocorria antigamente. Outra vantagem é que a laje alveolar é autoportante, ou seja, não precisa da utilização de escoramento em sua montagem. Mesmo requerendo a capa de concreto, o painel é capaz de resistir aos carregamentos sem a necessidade de qualquer escoramento. Essa característica traz agilidade à obra, proporcionando liberdade de trabalho nas partes superior e inferior da laje.

 A FABRICAÇÃO 

A fabricação das lajes alveolares é realizada com máquinas extrusoras. “Nós temos uma usina automatizada que produz o concreto. Esse concreto chega através de uma vagoneta posicionada perto do local de aplicação, onde está a máquina. Então, o concreto passa dentro da máquina, que o conforma e o lança na pista. É como se fosse uma máquina de macarrão”, compara Pagliaro. Localizada em Ibiúna, a 60 km da capital paulista, a fábrica da Alveolare Brasil tem uma área de 65.000 m² e capacidade de produção de mais de 1.000 m² de lajes alveolares por dia. No entanto, devido à baixa demanda do atual cenário da construção civil, a produção segue em ritmo moderado. Para a obra da estação Campo Belo foram fornecidos 5.000 m² de lajes. Já para a obra da estação Alto da Boa Vista, a empresa entregou 9.232 m² do produto.

Sistema de fabricação de lajes alveolares: as peças pré-moldadas usadas nas estações do Metrô da Linha5-Lilás, em São Paulo, têm 1,25 m de largura