PMI sobre Operação Urbana Consorciada Rio das Pedras, no Rio de Janeiro, atrai 11 empresas

A Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro divulgou recentemente que 11 empresas se interessaram no Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para o desenvolvimento da modelagem da Operação Urbana Consorciada Rio das Pedras, que prevê requalificar o Complexo de Rio das Pedras, localizado nos bairros do Itanhangá e Jacarepaguá, no município carioca.

São elas: MRL/MRV Engenharia e Participações; Quatro de Janeiro Administração e Participações; Direcional Engenharia; Construtora Tenda; Cury Construtora e Incorporadora; Mega Realizações Imobiliárias; João Fortes Engenharia; Construtora Novolar; Cattleya Empreendimentos Imobiliários SPE; Ghimel Construções e Empreendimentos; e Cofranza Construtora.

A região do Complexo Rio das Pedras com 854 mil m² possui atualmente uma população de 80 mil habitantes, se tornando a maior comunidade do Rio de Janeiro e a terceira maior do Brasil. De acordo com a prefeitura investimento será de R$ 5,4 bilhões para estudos anteriores ao PMI, R$ 2 bilhões para infraestrutura urbana e R$ 3,4 bilhões para a construção de habitações.

Serão realizadas implantação de vias para pedestres e interligação com os modais de transporte sustentável, visando a redução de impacto ao Meio Ambiente, tudo por meio de um plano de mobilidade. Há também no projeto a implantação de parques, praças e arborização, despoluição e recuperação ambiental de rios e margens das lagoas próximas a região, além da criação de ciclovias.

O Chamamento Público realizado em maio deste ano, determinou como objeto de estudo a área delimitada pelas Lagoas da Tijuca e do Camorim, Avenida Ayrton Senna, Avenida Isabel Domingues, Estrada Curipos, Estrada de Jacarepaguá, Rua Aroeira até a junção com a Rua Mario Tebyrica, daí em linha reta até o encontro da Rua Luís Carlos de Castro com a Rua Colins, por esta até a Rua Armostrong, Estrada de Jacarepaguá, Avenida Engenheiro Souza Filho até o encontro com a Rua Francisco Mangabeira e desse ponto perpendicular à avenida até a margem da Lagoa da Tijuca.

A assessoria do prefeito Marcelo Crivella, afirma que há a licitação do projeto está sendo avaliada. Para a próxima etapa, será realizada a análise e validação dos estudos pela equipe da Prefeitura.

Por Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb.