Barreiras pré-moldadas de concreto fazem a separação de trecho de 49 km da Rodovia dos Tamoios, em São Paulo

Entre todas as estradas do país, a Rodovia dos Tamoios, no estado de São Paulo, foi a que mais investiu em barreiras pré-moldadas de segurança. Ao todo, foram 49 quilômetros de barreiras do tipo New Jersey, instaladas em 2014 durante a duplicação do Trecho Planalto, que vai do km 11,5 ao 60,5. As barreiras foram aplicadas tanto no centro da via quanto em alguns pontos na lateral das pistas.

Na época, ainda não havia sido feito o leilão de concessão, e a responsável pela operação e duplicação da rodovia foi a Dersa, controlada pelo governo do estado de São Paulo. O projeto optou, então, pela barreira pré-moldada NJ100, da Segurvia, empresa especializada na prestação de serviços e fabricação de barreiras de segurança pré-moldadas, de Florianópolis (SC), que trouxe a tecnologia europeia para o Brasil em 2010.

Estrutura de peças pré-moldadas faz a separação na parte central de trecho da Rodovia dos Tamoios

Trata-se de um sistema formado por blocos de concreto pré-moldado de alto desempenho e barras de aço, que interligadas longitudinalmente formam uma espécie de parede de proteção. Quando ocorre um acidente, o sistema é capaz de absorver o impacto e redirecionar o veículo na trajetória inicial, devido principalmente à base inclinada e flexibilidade da estrutura.

“O modelo atende às especificações técnicas e normas rodoviárias, o que permite que, em caso de colisão, os veículos desgovernados sejam reconduzidos à pista, com desaceleração suportável para o corpo humano e com menores danos possíveis aos veículos”, explica Robinson Avila, gerente de engenharia da Concessionária Tamoios, atual operadora da rodovia.

Durante a instalação das peças, conectadas na parte inferior por placas de aço, atentou-se para o alinhamento e nivelamento dos blocos, para o rosqueamento do sistema de travas

De acordo com o diretor comercial da Segurvia, Eduardo Di Gregorio, a empresa fornece a opção de transportar as barreiras até o canteiro de obra ou montar uma planta de produção para a confecção das barreiras próxima à obra. No caso da duplicação da Tamoios, os blocos foram fabricados externamente e transportados até o local em carretas-prancha, pois a planta industrial de 6.000 m² da Segurvia está em Itaquaquecetuba (SP), a somente 65 quilômetros de distância da rodovia.

Em 2014, a Segurvia ainda não possuía equipamentos especializados, como o caminhão-pinça que hoje utiliza para a instalação das barreiras. Sendo assim, foi utilizado um caminhão guindauto, capaz de deslocar módulo por módulo. O processo costuma ser rápido, trazendo pouca interferência à rodovia. “A vantagem da pré-moldada é sua fabricação fora da pista e posterior instalação com menor tempo de permanência de pessoas e equipamentos”, afirma Robinson Avila.

Para a instalação, alguns cuidados devem ser tomados, como alinhamento e nivelamento dos blocos, para que possam ser rosqueados. Conforme explica Paulo Gori, engenheiro da Segurvia, na parte de cima da barreira há uma barra longitudinal de aço que se une com a próxima barreira através de uma luva de rosca inversa. Já na parte inferior, as barreiras são unidas com duas chapas de aço, uma de cada lado, onde cada uma delas é fixada com dois parafusos de rosca que atravessam a peça.

Durante a obra, a empresa fica responsável pela instalação das barreiras. “Nós preferimos fazer a instalação porque tem todo o acompanhamento técnico de um engenheiro, então nós temos essa responsabilidade”, afirma Di Gregorio, que também ressalta o fato de que a Segurvia presta toda a assessoria para a concessionária ou operadora responsável.

 FICHA TÉCNICA 

OBRAS DE DUPLICAÇÃO DA RODOVIA DOS TAMOIOS (TRECHO PLANALTO)

Localização: do km 11,5 (São José dos Campos-SP) ao 60,5 (Paraibuna-SP).
Data de início: maio de 2012
Data de término: janeiro de 2014
Responsável: Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa)
Fornecedora de barreiras: Segurvia