Tubo tremie é usado para concretagem em locais subaquáticos e evita contato do concreto com a água

O método tremie – também chamado de tremonha – é utilizado para concretagens em áreas subaquáticas. A técnica consiste na aplicação de concreto fresco através de uma tubagem metálica (o tremonha) em posição vertical, desde a superfície até a área de aplicação. O procedimento evita o arrastamento ou enfraquecimento do concreto que ocorreria caso houvesse contato com a água.

O concreto é aplicado por gravidade pelo tubo tremonha, lançado por um cone. O próprio concreto expele o polímero estabilizador da perfuração. O método é utilizado, por exemplo, para executar estacas em locais submersos e também nos quais a perfuração atinge o lençol freático. Veja como funciona.

1 – Perfuração e armação


A perfuração do solo para concretagem da estaca normalmente é feita por uma máquina rotativa. É lançado um polímero estabilizante A simultaneamente ao processo de perfuração – esse polímero é usado com o mesmo objetivo estabilizador da lama bentonítica, porém possui menos restrições ambientais. Após a perfuração, e com a escavação já preenchida por polímero, é feita a colocação da armadura B por meio de guindaste. A armadura deve ser reforçada com anéis de enrijecimento e dotada de roletes distanciadores (normalmente de 5 cm), o que ajuda a garantir o recobrimento adequado pelo concreto.

2 – Preparação da tubulação
A coluna de betonagem é formada por tubos tremonha C que são montados e descidos pelo interior da armadura. A coluna deve estar centralizada na perfuração, enquanto a extremidade inferior do tubo deve ficar de 20 cm a 30 cm do fundo da escavação. Na extremidade superior da coluna de tubos é acoplado um cone D para o lançamento do concreto. As juntas devem ser estanques. Dentro do cone é colocada uma bola de borracha E com o diâmetro do tubo tremonha. Durante a concretagem essa bola atua como um êmbolo de uma seringa, empurrando para fora o polímero devido à ação da força do concreto.

4 – Finalização 3 – Concretagem
A concretagem da estaca é feita de forma invertida, de baixo para cima. O concreto é lançado F, normalmente a partir de um caminhão betoneira, enquanto o polímero é empurrado para fora da perfuração e aspirado para ser estocado em silos para seu reaproveitamento G. A bola de borracha evita que o polímero se misture com o concreto lançado dentro da coluna de tubos tremonha. O lançamento do concreto deve ter fluxo constante e uniforme para preenchimento correto do furo e para garantir perfeita aderência do fuste da estaca ao terreno. É obrigatória a realização do slump test para verificar a consistência do concreto, sendo os corpos de prova moldados com o concreto colhido no topo da estaca assim que a concretagem terminar.

A concretagem deve ser ininterrupta até que o concreto fresco seja visível no topo da perfuração. Na parte superior das estacas são deixadas ferragens para a viga de coroamento H. O concreto que extravasar na superfície I deve estar livre da mistura com o polímero ou com o solo: essa observação evita a conformação de uma concretagem de má qualidade no topo das estacas.

Por Rodnei Corsini

Comunicado aos Assinantes PINI!

Clique aqui.